Sem candidato definido nas eleições de 2018, o MDB está, de fato, rachado.

Parte da cúpula do partido está decidida: não vai apoiar ninguém à sucessão do presidente Michel Temer.

Nas palavras de um dos caciques, o objetivo é “devolver” ao ex-ministro Henrique Meirelles, recém-filiado e um dos mais cotados, o mesmo tratamento dado por ele à legenda quando era titular da Fazenda.

Outra ordem expressa é “não aprovar nada” que venha do Ministério de Minas e Energia, comandado por Moreira Franco, desafeto até mesmo do próprio genro, Rodrigo Maia (DEM).

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome