Com um enorme passivo de ações em andamento, a Força-Tarefa da Lava Jato no Ministério Público Federal começa a se debruçar a partir de agora no sistema de propinas da Odebrecht.

Até então, os procuradores vinham utilizando o Drousys apenas para corroborar as investigações feitas em Curitiba, Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro.

O sistema traz informações, como: onde, quando e quem fez ou recebeu as entregas de propinas.

Cada um dos citados ganhava um apelido e muitos ainda são desconhecidos. Entre eles “Ventania”, “Ovo”, “Luz”, “Bigode”, “Enteado”, “Tijolo”, “Corajoso” e “Bagre”.

Edilson Dantas | Agência O Globo

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome