Com a proibição das doações de pessoas jurídicas, candidatos às eleições de outubro estão transferindo os bens das empresas da família, como carros e escritórios, para os próprios nomes.

O objetivo é utilizá-los na campanha e evitar que sejam cassados por abuso de poder econômico pela Justiça Eleitoral.

Quem fizer a manobra elimina o risco de responder a eventuais processos.

Foto: Nelson Jr./ ASICS/TSE

1 COMENTÁRIO

  1. Agora é hora de cruzar as informações de bens e receita federal, vai ficar bom a conversa..pobrezinhos..ou bens comprados a preços de bananas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome