O Ministério Público Federal abre procedimento para investigar a suspeita de fraudes na abertura de MEIs – empresas de uma pessoa só – para a contratação de convênios médicos em todo o Brasil.

A prática, utilizada por parte de corretores que vendem planos individuais, vinha sendo propagada até a Agência Nacional de Saúde editar uma norma com exigências mais rígidas, como o tempo de operação de pelo menos seis meses.

Diante do esquema, a Receita Federal cancelou pelo menos 200 mil CNPJs de microempresários que nunca pagaram impostos, mas a grande maioria continua ativa na ANS.

Agência Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome