As transformações da sociedade não param. E as famílias são parte dessa mudança. Os modelos tradicionais dividem espaço com as novas formatações. São famílias construídas a partir de separações e novos casamentos, são famílias homossexuais, são famílias que surgem a partir de produções independentes e etc. Em suma, são homens e mulheres que estão encarando o desafio da maternidade e da paternidade.

Os estereótipos que temos das relações são, atualmente, apenas chavões a serem revistos com a originalidade que as novas famílias pedem para que confirmem seu importante papel nos dias atuais.

E para te ajudar a refletir sobre a diversidade, sobre respeito e sobre as novas famílias que vamos razer dicas por aqui. E já começamos com “A excêntrica família de Antônia”, que venceu do Oscar de melhor filme estrangeiro em 1996. O longa, dirigido por Marleen Gorris, narra a história contada em flashbacks da matriarca holandesa Antonia que volta à cidade natal com a filha depois da Segunda Guerra Mundial e que, ao longo de 50 anos, constrói uma vida de força, beleza e generosidade ao lado de sua família incomum.

A outra indicação é o filme “Que mal fiz à Deus?”, de Phillippe de Chauveron. Na história, Claude e Marie são católicos, conservadores e têm quatro filhas. Eles não ficam felizes quando três se casam com homens de outras religiões. Ainda resta a esperança da filha caçula. Mas o futuro genro pode não atender as expectativas do casal.

Até a próxima dica!

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome